terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Prémio Pessoa para Irene Flunser Pimentel

A historiadora Irene Flunser Pimentel foi distinguida com o Prémio Pessoa 2007.
Este ano publicou um estudo sobre a polícia política intitulado a A História da PIDE. Publicou ainda Mocidade Portuguesa Feminina, Vítimas de Salazar e, em 2006, Os judeus em Portugal durante a 2ª Guerra Mundial.
Colaborou em vários projectos de investigação incidindo sobre temas de história contemporânea e foi ainda autora da parte portuguesa de Contai aos vossos filhos (2001), livro europeu sobre o Holocausto na Europa.
Publicou também a Fotobiografia de Manuel Gonçalves Cerejeira (2002) e acabou recentemente a Fotobiografia de José Afonso, a lançar em breve. Actualmente trabalha num projecto de investigação sobre os Tribunais no período do Estado Novo.
Em declarações à Agência Lusa, a historiadora, de 57 anos, confessou que foi «uma emoção tremenda» receber o Prémio Pessoa, considerando que a distinção é «sobretudo dedicada aos investigadores de história contemporânea».
«Os seus livros, que nunca negam a sua adesão à causa das liberdades e dos direitos humanos, revelam um notável esforço de rigor intelectual e de objectividade académica», salientou.
É a segunda vez que o Prémio Pessoa é atribuído a um especialista em História. O primeiro foi José Mattoso, em 1987.

Fonte: JN/Sapo

2 comentários:

Luís Carlos Silva disse...

O jornalismo em Portugal está pelas ruas da amargura, pelo menos o do JN está. Tive de retocar o texto e custa-me a acreditar que a autora tenha dito, sobre si própria, que o seu esforço «de rigor intelectual e de objectividade académica» é «notável». Mas pode ter dito. Há pessoas que se têm muito em conta. Pessoalmente, são livros que não despertam o mínimo interesse, mas, ainda que um pouco fora do tempo, achei que é informação importante a colocar aqui no blogue. Abraços.

Anónimo disse...

uma vencedora decente. para limpar o vergonhoso prémio do ano anterior.

Subscrever