domingo, 16 de abril de 2006

Os Caminhos Ocultos do Ocidente

A Ordem e os Ciclos - da Atlântida aos Neotemplários

José Medeiros

Pergaminho

Temos constatado que as visitas a este blog têm mantido um “ritmo” regular e nós não temos correspondido com “actividade bloguista” que se aproxime sequer do aceitável. Assim, tentaremos afastar esta letargia que nos tem assolado, para voltar ao trabalho de uma forma continuada. Nada melhor do que um livro do nosso Amigo José Medeiros para nos dar o ânimo suficiente para voltar à actividade.

Infelizmente, o panorama editorial no nosso país, mas também no mundo inteiro, é cada vez menos interessante, uma vez que os livros que hoje se editam raramente apresentam algo de novo. Não que isto seja imperativo. Preferimos livros que nos digam verdades do que aqueles que são originais. Mas o que é certo é que muitos dos livros que hoje saem são apenas repetições e mais repetições, chegando ao cúmulo de alguns autores se plagiarem a si mesmos, assunto que está agora bem na ordem do dia. Naturalmente que existem excepções, essencialmente no campo da Ciência, em que constantemente se desbravam novos caminhos. Contudo, no campo de estudo que mais nos prende a atenção, e que é o Ensaio histórico e a Filosofia Esotérica, entre outros, parece-nos que tudo o que havia para escrever já está escrito.

Mas, para nosso grande gáudio, Os Caminhos Ocultos do Ocidente é um daqueles livros que remam contra a maré e que, desafortunadamente, aparecem apenas de quando em quando. Trata-se, assim, de um livro que apresenta uma teoria totalmente inédita, pelo menos na língua de Camões. Esta teoria, que tem vindo a ser estudada e estruturada pelo Autor há já vários anos, assenta na hipótese assaz bem fundamentada de que povos vindos do oriente, particularmente do Egipto, arribaram a esta Península em tempos bastante remotos, deixando por cá vestígios da sua cultura, religiosidade e, claro está, dos seus artefactos. Mas, este livro não se centra apenas nesta matéria, e remete-nos para outros assuntos que se interligam de uma forma que para alguns pode ser surpreendente.

Assim, utilizando uma linguagem coloquial, que alternadamente nos apela ora à razão ora à emoção, o Autor conduz-nos pelos Caminhos Ocultos do Ocidente; caminhos estes que têm o seu início, como não podia deixar de ser, na Atlântida. Passamos, depois, pelo Culto da Grande Mãe, atravessamos os mistérios Templários e desembocamos na Ordem de Cristo. Neste percurso sinuoso, mas ao mesmo tempo esclarecedor, José Medeiros tenta desvelar uma sabedoria, uma Ordem, que terá atravessado séculos e que ainda hoje pode ser perscrutada, mas que é, em última análise, “interna e não manifestada”.

O único senão que temos a referir é a fraca aposta pela parte do Editor que, nitidamente, não soube perceber a obra que tinha em mãos e que nos apresenta um livro com uma montagem fracamente estruturada e com uma capa muito infeliz.

3 comentários:

eternal8 disse...

Um livro deveras interessante e uma surpresa agradável ver este blog de novo "no activo". A continuar!

Francisco Canelas de Melo disse...

Direi não um livro, mas o livro. Deveras interessante e abrangente e leque razoavel de temas distintos mas unidos em torno de Portugal. Não vou repetir o que os meus dois amigos dizeram, mas refiro, é uma novidade dentro de um mercado saturado de tanta repetição...Peca pelo pouco aproveitamento da editoria em termos de imagem e apresentação, de certo que numa editora como a Zéfiro ficaria melhor apresentavel...

Flávio Gonçalves disse...

E pronto, voltaram ao activo, a minha bolsa vai sofrer, péssimo costume o vosso de divulgar obras que me apetece logo ir comprar.

Bem hajam.

Subscrever